I Bienal de Artes Visuais do Mercosul
02 de Outubro a 30 de Novembro de 1997
Porto Alegre - RS - Brasil
EDITORIAL

 
EDITORIAL

CONHEÇA A FORÇA DAS OBRAS LATINO-AMERICANAS

> A história da arte no mundo faz parte da memória e da imaginação coletiva. O conceito de arte que conhecemos, foram consolidados por historiadores a partir de pesquisas arqueológicas. E, é da perspectiva européia, "berço da cultura e das artes", que avaliamos uma obra.

> A arte latino-americana, ainda não têm história. Quase não aparece no mundo, sendo ignorada pela imaginacição coletiva e até mesmo pelos latinoamericanos. Os poucos artistas brasileiros conhecidos são os que vivem no exterior: expressam sua latinidade mas, nos padrões globais, com alguma influência do muralismo mexicano.

> Pretender selecionar um acervo para uma Bienal Latino Americana, é mais do que ousadia, é um megadesafio. Catalogar esta primeira mostra em vertentes (política, construtiva e cartográfica) foi uma tentativa organizacional, políticamente correta, para que fosse realizada esta Bienal. 

> Para a curadoria dos seis países participantes - Venezuela, Bolívia, Argentina, Uruguai, Paraguai, Brasil - reunir mais de 800 obras foi um plano estratégico corajoso, inadiável. Corajoso porque estavam conscientes de que a I Bienal de Artes Visuais do Mercosul enfrentaria críticas, poderia provocar um "choque" nos grandes críticos e, que no mínimo "surpreenderiam". 

> Porém o objetivo maior, que seria reunir artistas plásticos da América Latina. apresentando os acervos de um país ao ao outro, está sendo alcançado . O tipo de "efeito surpresa" que a I Bienal de Artes Visuais do Mercosul provocará em nível mundial, não sabemos: poderá ser "duro", pois por certo estamos transgredindo ordens estabelecidas. Por outro lado, o efeito "surpresa" dentro da América Latina é gratificante e justifica todos os riscos.

> Temos um acervo muito "rico", que transcende do limite estabelecido pelos curadores, para viabilizar estas exposições. A partir desta mostra, outro desafio maior começará a ser enfrentado: escrever a "História da Arte Latinoamericana". Podermos nos ajustar a alguns padrões, violaremos alguns paradigmas e criaremos outros no mundo da arte, para o próximo milênio. 

> Em primeiro lugar, o acervo (não somente as obras que estão sendo expostas) deverá ser "decodificado", para depois ser "codificada" a arte latinoamericana.

> Esta proposta será cumprida porque tanto os tutores das artes, como artistas, e mesmo o povo latinoamericano, não "têm medo" expor ao mundo sua história, sua origem, seus delitos, sua memória genética, tudo o que que se constituem na "impressão digital" da sua arte.

> A I Bienal de Artes Visuais do Mercosul não está somente "expondo" ou "expondo-se", mas reunindo o que será um legado para o mundo das artes. Como tal, deverá começar a ser compreendida, aceita, valorizada.

> Será preciso de algum tempo para catalogar a arte latinoamericana. Mesmo assim, a partir desta edição - sem respeitar uma ordem, mas por uma questão da oportunidade que o momento oferece - mostraremos algumas das 800 obras - fotografadas por Edson Vara - para satisfazer a expectativa dos que amam a arte. 

**
>> Jornalista Joyce Larronda - Reg. Prof.: 5349-RS/BR
**
>> Jornalista Joyce Larronda - Reg. Prof.: 5349-RS/BR
>> Editora do Jornal Eletrônico do Mercosul 
>> Arte Gráfica: André L. Raimann
>> Fone/Fax:(+55 51) 582-8863
>> e-mail: larronda@zaz.com.br
>> Internet: http://www.jornalartelatina.com.br
                   http://www.joycelarronda.com.br
*


MOSTRA DE OBRAS DOS ARTISTAS PLÁSTICOS LATINO-AMERICANOS
 

Clique nas obras para vê-las em destaque


 

Lygia Clark (Brasil) +
Vertente Construtiva

Carlos Cruz-Diez (Venezuela)
Vertente Construtiva

Carlos Cruz-Diez (Venezuela)
Vertente Construtiva

Antonio Henrique Amaral (Brasil)
Vertente Política

Antonio Henrique Amaral (Brasil)
Vertente Política

Antonio Henrique Amaral (Brasil)
Vertente Política

Guiomar Mezza (Bolívia)
Último Lustro

Guiomar Mezza (Bolívia)
Último Lustro

Gracia Barrios (Chile)
Vertente Política

João Câmara (Brasil)
Vertente Política

João Câmara (Brasil)
Vertente Política

João Câmara (Brasil)
Vertente Política

Jesus Soto (Venezuela)
Vertente Construtiva

Jesus Soto (Venezuela)
Vertente Construtiva

Jesus Soto (Venezuela)
Vertente Construtiva

Keila Alaver (Brasil)
Último Lustro

Keila Alaver (Brasil)
Último Lustro

Keila Alaver (Brasil)
Último Lustro

Carlos Altamirano (Chile)
Vertente Política

Carlos Capelan (Uruguai)
Vertente Cartografica

Carlos Capelan (Uruguai)
Vertente Cartografica

Ernesto Deira (Argentina)
Vertente Política

Ana Bella Geiger (Brasil)
Vertente Cartografica

Francisco Matto (Uruguai)
Vertente Construtiva

Gilberto Vaçan (Brasil)
Último Lustro

Gilberto Vaçan (Brasil)
Último Lustro

Gilberto Vaçan (Brasil)
Último Lustro

Javier Bassi (Uruguai)
Último Lustro

Javier Bassi (Uruguai)
Último Lustro

Javier Bassi (Uruguai)
Último Lustro

Maria Luisa Richter (Venezuela)
Vertente Construtiva

Karina Yaklut (Paraguai)
Vertente Cartográfica

Edgar Moreno (Venezuela)
Vertente Política


- I Bienal de Artes Visuais do Mercosul - 1997 - EDIÇÃO 1 - I Bienal de Artes Visuais do Mercosul - 1997 - EDIÇÃO 2 da cobertura - I Bienal de Artes Visuais do Mercosul - 1997 - EDIÇÃO 3 da cobertura - I Bienal de Artes Visuais do Mercosul - 1997 - Obras de artistas Latinos - Arte do Mercosul, por Jacques Leenhardt - II Bienal de Artes Visuais do Mercosul em Porto Alegre - 2000